Tamanho da letra: A+  |  A-
 
  BOM DIA - 05 de Dezembro de 2016

 
Nenhum comentário | deixar comentário
   

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

   
  NAS RUAS

Protesto em defesa da Lava Jato reúne manifestantes em 200 cidades do Brasil
O protesto é em defesa da Operação Lava Jato e contra o pacote de medidas anticorrupção aprovado com modificações pela Câmara dos Deputados na madrugada do dia 30 de novembro

 
As manifestações estão permitidas apenas no gramado da Esplanada dos Ministérios, a partir da Catedral de Brasília até a Avenida das Bandeiras, mas alguns manifestantes conseguiram chegar próximo ao espelho d'água do Congresso Nacional

As manifestações estão permitidas apenas no gramado da Esplanada dos Ministérios, a partir da Catedral de Brasília até a Avenida das Bandeiras, mas alguns manifestantes conseguiram chegar próximo ao espelho d'água do Congresso Nacional / Divulgação

Com a segurança reforçada, milhares de pessoas vestidas de verde e amarelo e empunhando bandeiras do Brasil se reuniram hoje (4) em cerca de 200 cidades, de acordo com os organizadores, entre elas Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo. O protesto é em defesa da Operação Lava Jato e contra o pacote de medidas anticorrupção aprovado com modificações pela Câmara dos Deputados na madrugada do dia 30 de novembro. 

Segundo a Polícia Militar do Distrito Federal, na Esplanada dos Ministérios até as 11h15 entre 4 e 5 mil pessoas participavam pacificamente do protesto, previsto para ser encerrado às 13h. Para os organizadores, são mais 15 mil manifestantes. Entre os movimentos que convocaram os protestos, estão o Vem pra Rua e o Avança Brasil.
 
As manifestações estão permitidas apenas no gramado da Esplanada dos Ministérios, a partir da Catedral de Brasília até a Avenida das Bandeiras, mas alguns manifestantes conseguiram chegar próximo ao espelho d'água do Congresso Nacional, onde espalharam desenhos de ratos, simbolizando, segundo eles, os políticos.
 
Trânsito
Desde as primeiras horas da manhã, estão restritos o acesso à área da Praça dos Três Poderes, onde fica o Palácio do Planalto, o Congresso e o Supremo Tribunal Federal, além dos ministérios da Justiça e das Relações Exteriores. O trânsito foi interrompido a partir da Rodoviária. O acesso as vias N1 e S1, atrás dos Ministérios, também foi proibido.
 
A Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social do Distrito Federal montou um forte esquema de segurança e retomou as revistas na Esplanada, após os incidentes do último dia 29, durante os protestos contra a PEC dos Gastos, quando houve confronto entre manifestantes e policiais.
 
O efetivo de policiais militares é de 1,5 mil homens, conforme informou antes das manifestações o Governo do Distrito Federal (GDF). O esquema conta ainda com agentes do Detran e bombeiros. A Polícia Civil informou que todos os departamentos estarão em funcionamento. A 5ª Delegacia de Polícia (DP) teve o plantão reforçado e, se necessário, a 1ª DP também vai receber ocorrências, além do Departamento de Polícia Especializada.
 
As forças de segurança orientaram os manifestantes a não cobrir o rosto, não usar guarda-chuva (se chover utilizar capa), não portar objetos cortantes ou garrafas de vidro. É recomendado ainda ter um documento de identificação e evitar celulares e objetos de valor. A polícia pede também que se foram identificados grupos com intenção de tumultuar os protestos que as autoridades sejam informadas.
 
A maioria dos manifestantes portava faixas contra o presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL)  e cartazes com frases como "Somos todos Sérgio Moro", "Fora Corrupção", "Estamos de olho: a Lava Jato não será sabotada", "Fim do foro privilegiado" e "Pressa do julgamento de políticos no STF".
 
Rio de Janeiro
No Rio de Janeiro, centenas de pessoas se aglomeraram nos cerca de 800 metros que separam os postos 4 e 5 da Praia de Copacabana, em manifestações contra a decisão da Câmara dos Deputados de aprovar, com alterações, a proposta de emenda à Constituição (PEC), de autoria popular e que reuniu 2,5 milhões de assinaturas, com 10 medidas de combate à corrupção.
 
O protesto na cidade atendeu convocação do Movimento Vem pra Rua, Associação dos Magistrados do Rio de Janeiro (Amaerj) e Associação do Ministério Público do Estado (Amperj). Na avaliação dessas entidades, "a manifestação é uma oportunidade para que todos se juntem contra  a responsabilização criminal de juízes e membros do Ministério Público".
 
Durante o ato, centralizado nas ruas Miguel Lemos, Xavier da Silveira, Bolívar e Barão de Ipanema, os manifestantes gritavam palavras de ordem e osgtentavam slogans em cartazes e bandeiras, entre eles "Diga não a esse absurdo. O que o povo pedia? Prisão aos corruptos! O que eles entregaram? Prisão a juízes e promotores", "Podem até calar a Justiça, mas não podem calar a voz do povo", além de palavras de ordem como "Fora Renan", "Fora Maia" e "Viva Moro" e "Viva Marcelo Bretas", em alusão aos juízes que iniciou a Lava Jata e determinou a prisão do ex-governador Sérgio Cabral
 
Nenhum comentário | deixar comentário
   
  COLUNA AMPLAVISÃO - MANOEL AFONSO

 

Corporativismo politico sem limites...

 

« »
DESAFIO Se o presidente Michel Temer (PMDB) não vetar, caso o Senado aprove o projeto bizarro da Câmara, o país irá culpá-lo e perderá o apoio das ruas. Mas, se vetar perderá o apoio parlamentar e seu governo vai para o beleléu. Parafraseando o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso: ‘Temer – é o que temos’.

TRÁGICO É o termo que resume o final do governo do prefeito Alcides Bernal (PP). Campo Grande ‘às traças’. Ele vendeu ilusões no rádio e foi incapaz como político e gerente. Por onde passou na política só criou atritos e não agregou compartilhamentos.

O QUADRO acena com problemas futuros para o atual prefeito. A fala do conselheiro Waldir Neves (TCE-MS) sugerindo devassa pela futura administração descreve bem a situação. Enquanto isso, a população sofre contando os dias para esse suplício terminar.

PERGUNTA-SE: Quanto tempo será necessário para a nossa capital entrar nos eixos e funcionar como antes da atual gestão? Difícil responder. Infelizmente a situação do país será mais um ingrediente a dificultar essa reabilitação a médio prazo pelo menos.

DELÍRIO 57 anos no poder. Mais de 100 mil opositores mortos, entre eles intelectuais e homossexuais. Apesar da proibição de sindicatos, imprensa livre e partidos políticos, muitos insistem em cultuar a imagem do ditador cubano Fidel Castro. Tem dó, vai!

MARA CASEIRO Pela coragem assumindo posição em questões delicadas, coerência na tribuna, assiduidade e participação nas sessões e comissões parlamentares, ela é a deputada que mais se destacou em 2016 na Assembleia Legislativa. É a opinião compartilhada pela maioria dos jornalistas que cobrem aquela casa de leis.

PRESIDÊNCIA As pretensões do deputado Beto Pereira (PSDB) são legítimas, mas hoje inoportunas. O Governo não quer criar arestas políticas neste cenário de incertezas. Aí, a reeleição do deputado Junior Mochi (PMDB) para a presidência e do deputado Zé Teixeira (DEM) para a primeira-secretaria está consolidada.

‘OUTRO LADO’ Longe dos holofotes, o ex-ministro do STF Joaquim Barbosa confirma as suspeitas de incoerência. Deu para criticar o impeachment da presidente Dilma e soltar farpas contra o Governo. Ora! Ele não aproveitou quando o cavalo passou encilhado. Agora é tarde.

DÚVIDAS Para o deputado estadual Pedro Kemp (PT), a reforma do ensino médio pode gerar o empobrecimento cultural dos jovens. Por exemplo: quem optar pela área de exatas não teria conhecimento sobre as questões da área de humanas. Lembra ainda que falta estrutura para implementar o projeto a curto prazo. Opinião interessante.

REFLEXÃO A postura dos colombianos neste episódio do desastre aéreo enseja aos brasileiros a oportunidade de rever atitudes comportamentais que afloram em nosso dia a dia. Que tal aprender com os ‘hermanos’ essa lição de fraternidade e sensibilidade?

UMA SEMANA depois renovo as previsões de se ajeitar a situação ao melhor estilo corporativista dos parlamentos brasileiros. O deputado estadual Paulo Corrêa (PR) foi ouvido sigilosamente pelo corregedor Maurício Picarelli (PSDB) sem a presença da imprensa, ignorando o princípio da publicidade que o ato requer. Enfim, Brasília é aqui.

O DITADO “Esperteza – quando é muita – come o dono”, do ex-presidente Tancredo Neves e citado pelo colega Dante Filho, retrata a situação em que se meteu o deputado Corrêa ao instruir o deputado Felipe Orro (PSDB) a fraudar a lista de presença de funcionários de gabinete. O azar é que o papo foi gravado. Aí caiu a máscara de probo.

SUSPEITOS Artigos de advogados na mídia criticam os abusos do Judiciário e do Ministério Público, concordando assim com o senador Renan Calheiros (PMDB). Mais um expediente corporativista (‘meu pirão primeiro’), divorciado do sentimento de indignação da grande maioria do povo brasileiro.

FRANCAMENTE... Qualquer cidadão, com ou sem leitura, conclui que é preciso criar mecanismos que efetivamente combatam a corrupção. Mas, o problema é que a classe política está envolvida até o pescoço nos negócios ilícitos, como ficou provado na Operação Lava Jato principalmente.

SERGIO MORO Aos políticos sacanas interessam crucificá-lo, o colocando na condição de vilão. Ora! A voz das ruas, excluindo-se os apaniguados do PT e Cia, discorda das manobras do senador Renan Calheiros (PMDB) e aplaude as ações daquele juiz federal.

A ODEBRECHT não fechou acordo de delação por acaso. São 77 executivos seus confessando fraudes que resultarão na devolução de R$ 6,7 bilhões. Só isso já bastaria para que a Câmara Federal não mutilasse o projeto original de 10 itens de combate a corrupção.

COMPLICADO As novas regras da lei eleitoral deixando de saia justa candidatos a vereadoresvitoriosos na capital e interior. A prestação de contas da campanha seria burocrática e detalhista, dando margem a reprovação ou ressalvas da Justiça Eleitoral. Seria mais por falta de prática e organização, mas que pode custar o mandato.

TESOURA “Fazer mais com menos”. A frase do secretário Eduardo Riedel resume bem a proposta do Governo Estadual. Sindicatos e corporações de funcionários públicos precisam se conscientizar: o efeito dominó da crise nacional já chegou aqui. Aumentos de salários e outras vantagens vão ter esperar.

DIREITOS Todo mundo tem. Todos querem! Mas em certas situações não se pode ficar olhando apenas para o próprio umbigo. É preciso olhar para o desemprego, queda na produção industrial, vendas do comércio e para as placas de vende-se e aluga-se. É o que restou do ‘milagre petista’.

Pérola da semana: “A Lava Jato é sagrada”. (senador Renan Calheiros, PMDB-AL)
 
Nenhum comentário | deixar comentário
   
  LEMBRETE

 

 
Nenhum comentário | deixar comentário
   
  FONTE - O GLOBO

Delação da Odebrecht deve ter mais de 300 anexos com provas de corrupção.

 

Os acordos de delação premiada dos 77 executivos da empreiteira Odebrecht, incluindo os ex-presidentes Marcelo e Emílio Odebrecht, devem reunir mais de 300 anexos, de acordo com fonte ligada à Lava-Jato. Cada anexo apresenta um determinado assunto ou pessoa envolvida nos atos de corrupção investigados pela Policia Federal e pelo Ministério Público Federal no âmbito da operação. Os documentos também elencam os elementos e provas que serão apresentados para embasar o processo delatório.
 
Nos anexos, os executivos detalharam o que pretendem entregar aos investigadores em troca da redução de pena, caso os acordos sejam posteriormente homologados pela Justiça. No caso de Marcelo, por exemplo, a pena deve passar de 19 anos e quatro meses para uma um total de 10 anos, na qual ficará na prisão até o final de 2017, com o resto do período dividido entre prisão domiciliar, regimes semiaberto e aberto.
 
Advogados que participaram das negociações afirmam que o conteúdo dos anexos é quente e deve dar o que falar no meio politico. Há casos em que um só funcionário assinou 15 anexos, segundo fontes ligadas à investigação. Centenas de políticos de vários partidos devem ser citados, incluindo alguns da base do presidente Michel Temer (PMDB) e da oposição.
 
Os 77 acordos de delação dos funcionários da Odebrecht foram assinados entre esta quinta e sexta-feira desta semana. Os depoimentos devem começar a ser prestados na semana que vem. Os executivos serão ouvidos em Curitiba, Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro e outras cidades onde mantêm residência.
 
Os três últimos líderes da maior empreiteira do país, que comandaram a Odebrecht entre 1991 e 2015, fecharam acordos de delação. Além de Emílio e Marcelo Odebrecht, Pedro Novis (que antecedeu Marcelo na presidência do grupo) concordou em contribuir com as investigações relatando como era a dinâmica do relacionamento da empreiteira com o poder público nesse período e os atos de corrupção envolvidos na dinâmica.
 
As negociações para as delações premiadas se arrastaram por cerca de nove meses. No início, a empresa se recusava a admitir a prática de ilegalidades. Marcelo chegou a dizer em depoimento prestado à CPI da Petrobras que se negava a fazer delação por “não ter o que dedurar”. Agora, o time de defensores da empreiteira considera que os acordos foram uma saída razoável para a empresa e para os executivos.
Fonte: O Globo
 
Nenhum comentário | deixar comentário
   
  NOTA 10 - (05/12/2016)

 
Nenhum comentário | deixar comentário
   
  FONTE - MEIO E MENSAGEM

Há como morrer aos poucos. Uma receita infalível é trabalhar sem prazer, fazendo de todos dias uma eterna segunda-feira,

O nadador francês Florent Manaudou não gosta de treinar. O prazer dele é ganhar. Bastam duas frases para evidenciar uma certa incompatibilidade entre a ambição do atleta e a dedicação necessária para atingir o objetivo. Manaudou evoca o espírito do baixinho Romário em um esporte individual, veste o traje impermeável da marra e cria uma equação de enlouquecer qualquer técnico. Só que não satisfeito, o francês honra com as suas palavras. Ele ganha.
 
Nos Jogos Olímpicos de 2012 em Londres, Florent chegou à final dos 50m livre para ser aquele coadjuvante bacana que acena para a torcida, mergulha e valida o espírito esportivo ao cumprimentar o campeão (que já arrancou a touca, os óculos e urra socando a água). O francês que estava na raia 7, o que torna o feito ainda mais incrível, obteve o melhor tempo de reação na largada e abocanhou a prova, deixando Cesar Cielo em terceiro. Em 2016, os papéis se inverteram, Manaudou chegou ao Rio como o favorito e perdeu a final por um centésimo de segundo. Reformulando: levou a prata, o que para ele não foi o suficiente. Florent anunciou que vai dar um tempo das piscinas, diminuir radicalmente a intensidade dos treinos. Ele tem apenas 26 anos.
 
Alex Pussieldi, a voz da natação na transmissão dos Jogos, escreveu em seu blog sobre a precoce saída de cena. O título da matéria sintetiza: “Quando o prazer de ganhar é maior do que o gosto pelo esporte”. Ou, como Alex reafirma quase ao fim, Manaudou sucumbiu à falta de amor pela natação. O talento do francês é tão brutal que lhe permitiu liderar a elite por anos, mas seu estilo de nado custa caro aos músculos, às articulações, dói. Aí, você adiciona à receita um punhado de resistência aos treinos, uma pitada de brigas com o técnico e voilá: ele perdeu o tesão de nadar. O caminho não importava mais nem o destino.
 
No início deste ano, a jornalista gastronômica Alexandra Forbes abordou o suicídio do chef suíço Benoît Violier em um artigo denso, carregado dos dilemas que os renomados chefs enfrentam. Se por um lado, os rankings e guias podem alçar um profissional ao estrelato, por outro eles carregam a pressão, a tensão e uma carga emocional gigantesca para estar sempre no topo. À frente do premiadíssimo Restaurant de l’Hôtel de Ville, Benoít repetiu o ato trágico do chef Bernard Loiseau que em 2003 não suportou a possibilidade de ver o seu restaurante perder uma estrela (e, como consequência, uma margem alta de clientes) e deu fim a uma carreira brilhante.
 
Vem do delicado e magnífico filme Ratatouille, da Pixar, uma homenagem a Loiseau. Puxando na memória e no Google, relembro-me de que o ratinho Remy tinha como inspiração o chef Gusteau, que faleceu de tristeza após uma crítica do severo Anton Ego. Sem o bordão de Gusteau, que repetia que qualquer um pode cozinhar, Remy não poderia sonhar. E não sonhar é se render aos pesadelos.
 
Florent Manaudou vai dedicar uma parte do seu tempo ao handebol em busca do prazer do esporte e de uma distância da pressão da mídia. Entendo sua angústia e respeito a sua coragem que a caixa de comentários, o ralo do mundo, diz não existir mais. Alguns bons profissionais saíram das agências por motivo semelhante e quase todos reencontraram um sorriso que parecia anestesiado há tempos. Um deles parece ter criado uma resistência única aos fios brancos.
 
Dramatizo o exemplo dos chefs porque há como morrer aos poucos. Uma receita infalível é trabalhar sem prazer, fazendo de todos dias uma eterna segunda-feira.
 
Como um noticiário que encerra a sua transmissão com a revoada de passarinhos para que ainda possamos sonhar, recorro ao Remy. Do mesmo jeito que o crítico volta à infância ao provar um singelo prato de ratatouille, é fundamental buscar a razão pela qual escolhemos o nosso trabalho. E torço para que ela seja sempre mais pessoal do que balizada pelo crivo do outro.
 
Com prazer vale dois
André Kassu
 
Sócio da Crispin Porter + Bogusky Brasil

 

 
Nenhum comentário | deixar comentário
   

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
Tamanho da letra: A+  |  A-
 
  UOL - FELIPE PEREIRA - MEDELLIN

 

'Anjo' nunca entrou num estádio de futebol e deseja conhecer sobreviventes
 
Felipe Pereira
 
Do UOL, em Medellín (Colômbia)
05/12/201606h00
4,3.mil
Ouvir textoImprimir Comunicar erro
0:00

 

Johan Alexis Ramirez, 15 anos, estava deitado na cama quando ouviu um estrondo. Ele e o pai acordaram tentando entender o que acontecia e correram para oferecer ajuda no resgate às vítimas do acidente que vitimou a delegação da Chapecoense, na semana passada. O garoto auxiliou no resgate de três sobreviventes, o que lhe rendeu uma fama que o jovem não consegue dimensionar.
 
Ele continua vivendo em um povoado bastante afastado de Medellín e fazendo as mesmas atividades de antes. Como está de férias, vai ajudar o pai na roça todos os dias. Mas o que Johan gostaria é conhecer as pessoas que ajudou a salvar e as famílias das vítimas fatais.
 
Fama no Brasil é desconhecida
Tratado como 'anjo' pela imprensa internacional, Johan pouco sabe sobre a popularidade e o carinho que conquistou no Brasil. "Só sei que um senhor fez uma reportagem sobre mim. Está em português e não posso entender bem."
Ser conhecido não mudou a rotina do garoto que mora numa casa simples de um povoado. Ele continua madrugando para trabalhar na roça com o pai, assim como fez na terça-feira depois de ajudar a resgatar os sobreviventes.
"Consegui dormir lá pelas 4h30 e tive que acordar às 5h30 para trabalhar. Neste momento estamos cumprindo um contrato de hortênsias. Precisamos arrancar uma plantação de hortênsias."
Johan trabalha desde os cinco anos e se preocupa em ajudar o pai a pagar pelo arrendamento das terras. Eles plantam tomates e milhos.
 
Nunca foi ao estádio e gostaria de se encontrar com os sobrevivente
"Fui uma vez ao estádio, mas só vi por fora. Nunca entrei no estádio, nunca vi uma partida."
O estádio em questão é o Atanasio Giradot, local onde o Atlético Nacional, seu time do coração, manda suas partidas. No futebol internacional, Johan torce pelo Real Madrid e o jogador preferido é Cristiano Ronaldo. Mas hoje os atletas que mais deseja conhecer são aqueles que ajudou a tirar dos destroços do avião da Lamia.
 
Ele gostaria de ser um jogador profissional. Se afastou deste caminho no ano passado, ao deixar de ser o lateral ou volante do time do povoado onde vive. Faltava dinheiro para ir aos treinos.
 
Reconhecimento familiar
Depois de ajudar os bombeiros e policiais, Johan conversou com o pai, Miguel Ramirez, sobre o que aconteceu na noite da segunda-feira passada. "Eu e meu pai falamos que nos sentimos satisfeitos de ajudar as pessoas. E todos os meus familiares têm me parabenizado por ajudar aquelas vidas."
A noite do acidente mudou o garoto de 15 anos. Ele ressalta que foi uma mudança positiva.
 
"Sou uma pessoa diferente e mudei para melhor. Já tenho uma resposta à vida: que você sempre tem que ajudar sem esperar nada em troca, fazer com o coração. Que o material não importa nada. O mais importante e sentir-se bem."
Em seguida, completa que está se sentindo bem no momento.
 
Oração pelas vítimas
O acidente com o avião da Lamia introduziu uma nova rotina nas orações de Johan.
"Desde aquele momento, todas as noites tenho rezado por eles. Pelas pessoas que sobreviveram, mas ainda mais pelas famílias das pessoas que morreram, para que tenham força para seguir adiante."
 
Lembrança de uma noite difícil
O garoto conta que, quando chegou ao local do acidente, o jogador Alan Ruschel havia acabado de ser encontrado. As imagens do trabalho dos bombeiros e policiais estão vivas na memória. "Me lembro que Alan estava quase inconsciente e o bombeiro falava com ele para que respondesse e não desmaiasse."
 
O caso do atleta teve um final feliz. Outros, porém, não tiveram a mesma sorte. "Outra situação que lembro muito foi quando estávamos tirando um paciente. Estava imobilizado, andamos 10 metros e ele morreu. Não sei quem era."
 
Função no resgate
O garoto de 15 anos ficou encarregado de conduzir os socorristas porque conhece bem a região. Johan conta que guiou os bombeiros que carregam Alan Ruschel, Follmann e Erwin Tumir (boliviano tripulante do avião). Os outros dois sobreviventes foram levados por seu pai. A dupla permaneceu ajudando até ser expulsa por um policial.
 
"Eu estava tirando o Tumiri e um policial nos mandou sair. Meu pai explicou que estávamos ajudando e mostrando o caminho para resgatar as pessoas. Ele disse 'não importa, que saiam'. Quando um bombeiro nos defendeu, ele disse que era para sair e saímos."
 
  Nenhum comentário | deixar comentário  
   
  ECONOMIA

Projeção para inflação cai para 6,69%; piora estimativa para o PIB

 
Banco Central
Boletim Focus foi divulgado pelo Banco Central EBC
 
O mercado financeiro, consultado pelo Banco Central (BC), reduziu a projeção de inflação para este ano pela quarta vez seguida. A estimativa de inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), caiu de 6,72% para 6,69%.
 
Para 2017, a taxa foi mantida em 4,9% há três semanas. As estimativas fazem parte de pesquisa Boletim Focus feita pelo BC ao mercado financeiro sobre os principais indicadores econômicos. As projeções ultrapassam o centro da meta que é de 4,5%. O teto da meta é 6,5% este ano, e 6% em 2017. O boletim é divulgado às segundas-feiras, em Brasília.
 
Recessão
A projeção de instituições financeiras para a queda da economia (Produto Interno Bruto – PIB – a soma de todas as riquezas produzidas pelo país) este ano, piorou ao passar de 3,49% para 3,43%. Para 2017, a expectativa de crescimento foi alterada de 0,98% para 0,80%, na sétima redução consecutiva.
 
A projeção para a taxa básica de juros, a Selic, para o final de 2017 caiu de 10,75% para 10,50% ao ano. Na última semana, a Selic foi reduzida em 0,25 ponto percentual para 13,75% ao ano.
 
A taxa é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve como referência para as demais taxas de juros da economia.
Ao reajustá-la para cima, o BC contém o excesso de demanda que pressiona os preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Quando reduz os juros básicos, o Copom reduz o crédito e incentiva a produção e o consumo, mas alivia o controle sobre a inflação.
 
Edição:
 
  Nenhum comentário | deixar comentário  
   
  CAMPO GRANDE NEWS

 

Nas ruas, seis mil protestam em apoio à Lava Jato e contra o Congresso
Mayara Bueno e Adriano Fernandes

 

PM fala em seis mil protestantes neste domingo. (Foto: Fernando Antunes)PM fala em seis mil protestantes neste domingo. (Foto: Fernando Antunes)

 

Manifestante seguem em caminhada até o MPF-MS. (Foto: Fernando Antunes)Manifestante seguem em caminhada até o MPF-MS. (Foto: Fernando Antunes)

 

 
Já chega a 6 mil o número de manifestantes nas ruas, neste domingo (4), em Campo Grande, conforme balanço da Polícia Militar. Cantando o hino nacional, com faixas pedindo de prisão à intervenção militar, os protestantes começam a caminhar em direção do MPF-MS (Ministério Público Federal de Mato Grosso do Sul).
 
O ato acontece em diversas cidades do País, levando milhares às ruas. Na Capital, o protesto começou com quase 200 pessoas na Praça do Rádio, mas aumentou em menos de uma hora.
Quem aderiu ao protesto defende o juiz Sérgio Moro e a Operação Lava Jato, além da prisão do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB/AL). Alguns chegam a pedir intervenção militar.
 
Os manifestantes começaram a caminhada no canteiro da Avenida Afonso Pena, entre as ruas Pedro Celestino e a Padre João Crippa. De lá, eles seguem para o MPF, onde hastearão a bandeira do Brasil e transmitirão a manifestação ao vivo. A organização fala em sete mil pessoas.
 
Antes de seguirem o trajeto, os protestantes fizeram marcha fúnebre em homenagem aos mortos do acidente com o avião que levava o time da Chapecoense. Nas ruas, dois trios elétricos levam o grupo, que grita ‘1,2,3 Renan no xadrez’, entre outras frases de ordem.
 
Participam da manifestação o Reaja Brasil, Chega de Impostos, entre outros grupos, que no ano passado e início deste foram às ruas pedindo o impeachment da ex-presidente da República, Dilma Rousseff (PT).
 
  Nenhum comentário | deixar comentário  
   
  DIRETO DO PARQUE DOS PODERES

DCIM101MEDIADJI_0013.JPG

 

Campo Grande (MS) – Durante a solenidade de lançamento oficial do policiamento da Capital denominado “Cidade Mais Segura” e do interior, o governador Reinaldo Azambuja e o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, José Carlos Barbosa, também fizeram a entrega viaturas, armamentos, munições, e equipamentos de proteção pessoal para as policias Militar e
Continue lendo…

img-20161203-wa0026

 

Campo Grande (MS) – Durante todo o período de festas, a Polícia Militar de Mato Grosso do Sul (PMMS) empenhará cerca quatro mil policiais, incluindo o pessoal administrativo e os alunos dos cursos de cabos e sargentos, para reforçar a segurança da população de Campo Grande e do interior. O cronograma e a abrangência do
Continue lendo…

seguranca-38

 

Campo Grande (MS) – O governador Reinaldo Azambuja disse, neste sábado (03), sobre a necessidade de implantar medidas de austeridade aos governos de todo o país – União, Estados e municípios – para que alcancem o equilíbrio fiscal. “Não entendo como medidas amargas, entendo como medidas necessárias porque o país precisa passar por um equilíbrio
 
  Nenhum comentário | deixar comentário  
   
  BOA NOTÍCIA

População de Campo Grande recebe Centro Integrado de Justiça nesta quinta
Com mais de 13.200 m², o prédio passou pela reforma e adaptações necessárias para abrigar diversos serviços do Judiciário

Por: DA REDAÇÃO COM INFORMAÇÕES DA ASSESSORIA
 
Centro Integrado de Justiça na rua 26 de agosto
Centro Integrado de Justiça na rua 26 de agosto / William Silva/A Crítica
 
O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul entrega à população de Campo Grande nesta quinta-feira (8), às 9 horas, o Centro Integrado de Justiça Des. Nildo de Carvalho, situado na rua 26 de Agosto, esquina com Calógeras. Com mais de 13.200 m², o prédio passou pela reforma e adaptações necessárias para abrigar diversos serviços do Judiciário. É mais espaço para mais Justiça. 
 
O local onde antes funcionava um shopping popular foi remodelado para abrigar gabinetes de juízes, salas de audiência, plenários e diversos espaços. Situado na área central de Campo Grande, estratégica por estar próxima a pontos de ônibus, táxis e mototáxis, o prédio é um espaço moderno, centralizado e de fácil acesso, que atende a crescente demanda pela justiça, com mais comodidade e eficiência. 
 
No Centro Integrado de Justiça, os Juizados Especiais contam com 19 salas de audiências, duas salas de palestras, 21 salas de conciliação, três para a Defensoria, três para o Núcleo de Solução de Conflitos, além de 220 lugares de espera com o necessário conforto ao usuário. 
 
No pavimento térreo ficam a atermação, a triagem, o serviço expresso, o gabinete médico e odontológico. Para o Departamento dos Juizados Especiais há duas salas amplas, 16 gabinetes para juízes, sala de reunião, central de segurança, sala de contadoria, de apoio para a Procuradoria-Geral do Estado, da Defensoria, Promotoria e para a OAB. 
 
No local está instalada também a Secretaria Judiciária de 1º Grau, com previsão para até 300 postos de trabalho, e salas de apoio. A Justiça Restaurativa tem sala de ludoterapia e brinquedoteca e o Núcleo de Projetos, como o de adoção e do Projeto Padrinho, também está no local. Para as Turmas Recursais foram disponibilizados plenário, com mais de 70 lugares, e sala ampla no pavimento superior. 
 
Ressalte-se que o local é composto por dois pisos, ampla área de subsolo e estrutura para receber mais dois pavimentos, se necessário, o que mostra a visão de futuro da administração do poder Judiciário em deixar estruturadas as instalações judiciárias para as próximas gerações. 
 
Além disto, possui amplo estacionamento no subsolo e no terraço, com cerca de 277 vagas para carros e 82 para motocicletas, inclusive vagas para idosos e pessoas com deficiência. 
 
Como a obra de adaptação e reforma privilegiou a acessibilidade e a ecoeficiência, o local tem elevadores, escadas rolantes, rampas e banheiros adaptados. 
O sistema de climatização é moderno e eficiente e os sistemas hidráulicos e energéticos estão de acordo com as modernas técnicas de engenharia, o que permite mais economia com respeito ao meio ambiente.
 
  Nenhum comentário | deixar comentário  
   
  CALIFÓRINA

Número de mortos em incêndio em festa chega a 24

 
José Romildo – Correspondente da Agência Brasil
Pelo menos 24 pessoas morreram no incêndio em armazém onde um coletivo de artistas fazia uma festa de confraternização, na cidade de Oakland, na Califórnia. De acordo com o levantamento feito pelos bombeiros da cidade, neste domingo (4), há dezenas de pessoas desaparecidas em consequência do fogo. Autoridades da baía de San Francisco temem que haja no mínimo 40 mortos.
O incêndio teve início um pouco antes da meia-noite dessa sexta-feira (2) e destruiu completamente o prédio do armazém, que servia não só como local de trabalho de artistas como também para moradia. Por ser um local de shows improvisados, os bombeiros estão com dificuldades em calcular quantas pessoas havia no armazém, no momento do incêndio. Os bombeiros informaram apenas que havia entre 50 e 100 pessoas. Muitos morreram porque não acharam o caminho de saída do prédio.
Ao iniciarem os trabalhos de resgate no interior do prédio, denominado Oakland Ghost Ship Warehouse, na madrugada sábado (3), os bombeiros se depararam com dificuldades inesperadas. Eles foram obrigados a serrar madeiras e a usar maçaricos derrubar paredes de maneira improvisadas pelos próprios artistas como locais de trabalho.
Os bombeiros também encontraram espaços sem iluminação e sem água. Havia também uma escada improvisada, pilhas de troncos e um labirinto de cabos elétricos. Segundo os bombeiros, tudo isso está dificultando o resgate das vítimas.
Edição: Wellton Máximo
 
  Nenhum comentário | deixar comentário  
   
  SITE MIDIAMAX

Juiz rejeita recurso de vereador e mantém multa de R$ 1 milhão

Direitos políticos também foram cassados
Jéssica Benitez
 
O juiz David de Oliveira Gomes Filho rejeitou embargos de declaração ingressados pelo vereador Paulo Siufi (PMDB) contra a decisão que o multou em mais de R$ 1 milhão e o deixou inelegível por oito anos. A defesa do peemedebista pediu que o valor da penalidade fosse recalculado.
 
A ação é de improbidade administrativa referente à denúncia do MPE-MS (Ministério Público Estadual) de que no período de janeiro de 2009 a maio de 2013, o legislador tenha cumprido 1.152 horas como médico no Município, mas recebeu 100% da remuneração.
 
Conforme os cálculos apresentados na inicial, Siufi recebeu R$ 223.410,88, mas realizou apenas 618 atendimentos, o que daria um custo de R$ 361,50 cada. A defesa do vereador sustenta que, em 1991, ele prestou concurso para a carreira de médico ambulatorial no Município de Campo Grande com carga de 20 horas semanais e que cumpriu esta carga horária por 05 anos no Posto de Saúde Eleonora Quevedo, no distrito de Aguão.
 
No recurso, a defesa do vereador alega que na decisão o magistrado considerou itens incorretos como vencimento base, adicional por tempo de serviço, gratificação por trabalho em local de difícil acesso, adicional de aperfeiçoamento profissional e produtividade SUS (Sistema Único de Saúde). Além disso, sustenta que a soma não pode incidir sobre as férias do legislador.
 
“O cálculo realizado sobre a quantia que supostamente deveria ser devolvida pelo autor leva em consideração tudo aquilo que o autor recebeu nos quatro anos e cinco meses, o montante de R$ 223.410,88, e não os 81,88% correspondente deste montante, qual seja R$ 182,928,91, para fins de devolução”, diz a peça.
 
Contudo, o juiz rejeitou as argumentações. “Na contestação, nada foi alegado sobre os valores cobrados pelo Ministério Público, que, diga-se de passagem, eram de 81,88% sobre R$ 447.479,74 (fls. 26/27), que dá R$ 366.396,00”.
 
Para ele, o vereador está inconformado com a primeira decisão. “Não há, por parte do embargante, o espírito de esclarecer pontos obscuros, contraditórios ou omissos, mas de discutir o mérito da sentença pela via avessa - embargos de declaração”, finaliza. 
 
  Nenhum comentário | deixar comentário  
   
  ELEIÇÕES NA ÁUSTRIA

Candidato de extrema-direita admite derrota

 
Da Agência Ansa
O candidato ultranacionalista Norbert Hofer, do Partido da Liberdade (FPÖ), admitiu a derrota para o candidato independente apoiado pelo Partido Verde, Alexander van der Bellen, no segundo turno da eleição presidencial na Áustria, realizado neste domingo (4). As informações são da Agência Ansa.
"Estou infinitamente triste em não ter conseguido. Queria cuidar da Áustria", escreveu Hofer no Facebook. Pouco antes, a emissora pública "ORF" havia projetado a vitória de Van der Bellen. As urnas foram fechadas às 17h (horário local, 14h hora de Brasília), e Van der Bellen lidera a apuração com 53% de preferência.
Em maio, o candidato independente havia vencido o segundo turno com uma margem de apenas 30 mil votos, mas a eleição foi anulada pela Corte Constitucional austríaca devido a irregularidades na votação por correspondência.
Se confirmada, a nova vitória de Van der Bellen deixará a União Europeia aliviada, já que Bruxelas temia a ascensão de um candidato eurocético (contra a União Europeia) poucos meses depois do referendo que determinou a saída do Reino Unido do bloco.
Hofer havia baseado sua campanha em um duro discurso contra a imigração e a integração europeia e conquistou boa parte do eleitorado usando os mesmos tons nacionalistas que vêm ganhando força não apenas na União Europeia, mas também em países como os Estados Unidos.
 
  Nenhum comentário | deixar comentário  
   
  LUTO

Morre no Rio o poeta e escritor Ferreira Gullar

 
Douglas Corrêa - Repórter da Agência Brasil
O poeta, escritor, jornalista e teatrólogo Ferreira Gullar morreu neste domingo (4) no Hospital Copa d’Or, na zona sul do Rio, aos 86 anos. Ele era membro da Academia Brasileira de Letras (ABL) desde 2014.
Ferreira Gullar, cujo nome verdadeiro é José de Ribamar Ferreira, nasceu em São Luís do Maranhão em 10 de setembro de 1930, numa família de classe média pobre. Dividiu os anos da infância entre a escola e a vida de rua, jogando bola e pescando no Rio Bacanga. Considera que viveu numa espécie de paraíso tropical e, quando chegou à adolescência, ficou chocado em ter de tornar-se adulto, e tornou-se poeta.
Morre no Rio o poeta Ferreira Gullar
Morre no Rio o poeta Ferreira GullarTV Brasil Memórias/Aruivo
No começo, acreditava que todos os poetas já haviam morrido e somente depois descobriu que havia muitos deles em sua própria cidade, a algumas quadras de sua casa. Com 18 anos, passou a frequentar os bares da Praça João Lisboa e o Grêmio Lítero-Recreativo, onde, aos domingos, havia leitura de poemas.
Descobriu a poesia moderna apenas aos 19 anos, ao ler os poemas de Carlos Drummond de Andrade e Manuel Bandeira. Ficou escandalizado com esse tipo de poesia e tratou de informar-se, lendo ensaios sobre a nova poesia.
Pouco depois, aderiu a ela e adotou uma atitude totalmente oposta à que tinha anteriormente, tornando-se um poeta experimental radical, que tinha como lema uma frase de Gauguin: “Quando eu aprender a pintar com a mão direita, passarei a pintar com a esquerda, e quando aprender a pintar com a esquerda, passarei a pintar com os pés”.
Ou seja, nada de fórmulas: o poema teria que ser inventado a cada momento. “Eu queria que a própria linguagem fosse inventada a cada poema”, diria ele mais tarde. Assim nasceu o livro que o lançaria no cenário literário do país em 1954: A Luta Corporal.
Os últimos poemas deste livro resultam de uma implosão da linguagem poética e provocariam o surgimento na literatura brasileira da “poesia concreta”, de que Gullar foi um dos participantes e, em seguida dissidente, passando a integrar um grupo de artistas plásticos e poetas do Rio de Janeiro: o grupo neoconcreto.
O movimento neoconcreto surgiu em 1959, com um manifesto escrito por Gullar, seguido da teoria do não-objeto. Esses dois textos fazem hoje parte da história da arte brasileira, pelo que trouxeram de original e revolucionário. São expressões da arte neoconcreta as obras de Lygia Clark e Hélio Oiticica, hoje nomes mundialmente conhecidos.
 
Experiências
Gullar levou suas experiências poéticas ao limite da expressão, criando o Livro-Poema e, depois, o Poema Espacial, e, finalmente, o Poema Enterrado. Este consiste em uma sala no subsolo a que se tem acesso por uma escada; após penetrar no poema, deparamo-nos com um cubo vermelho; ao levantarmos este cubo, encontramos outro, verde, e sob este ainda outro, branco, que tem escrito numa das faces a palavra “rejuvenesça”.
O poema enterrado foi a última obra neoconcreta de Gullar, que afastou-se do grupo e integrou-se na luta política revolucionária. Entrou para o Partido Comunista e passou a escrever poemas sobre política e participar da luta contra a ditadura militar que havia se implantado no país, em 1964. Foi processado e preso na Vila Militar. Mais tarde, teve de abandonar a vida legal, passar à clandestinidade e, depois, ao exílio. Deixou clandestinamente o país e foi para Moscou, depois para Santiago do Chile, Lima e Buenos Aires.
Voltou para o Brasil em 1977, quando foi preso e torturado. Libertado por pressão internacional, voltou a trabalhar na imprensa do Rio de Janeiro e, depois, como roteirista de televisão.
 
Teatro
Durante o exílio em Buenos Aires, Gullar escreveu Poema Sujo, um longo poema de quase cem páginas e que é considerado sua obra-prima. Esse poema causou enorme impacto ao ser editado no Brasil e foi um dos fatores que determinaram a volta do poeta a seu país. Poema Sujo foi traduzido e publicado em várias línguas e países.
De volta ao Brasil, Gullar publicou, em 1980, Na vertigem do dia e Toda Poesia, livro que reuniu toda sua produção poética até então. Voltou a escrever sobre arte na imprensa do Rio e São Paulo, publicando, nesse campo, dois livros Etapas da arte contemporânea (1985) e Argumentação contra a morte da arte (1993), onde discute a crise da arte contemporânea.
Outro campo de atuação de Ferreira Gullar é o teatro. Após o golpe militar, ele e um grupo de jovens dramaturgos e atores fundou o Teatro Opinião, que teve importante papel na resistência democrática ao regime autoritário. Nesse período, escreveu, com Oduvaldo Vianna Filho, as peças Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come e A saída? Onde fica a saída? De volta do exílio, escreveu a peça Um rubi no umbigo, montada pelo Teatro Casa Grande em 1978.
Gullar afirmava que a poesia era sua atividade fundamental. Em 1987, publicou Barulhos e, em 1999, Muitas Vozes, que recebeu os principais prêmios de literatura daquele ano. Em 2002, foi indicado para o Prêmio Nobel de Literatura.
 
Governador
O governador do estado, Luiz Fernando Pezão, divulgou nota de pesar sobre a morte do jornalista, escritor e imortal da Academia Brasileira de Letras (ABL) Ferreira Gullar, que morreu na manhã de hoje (4), aos 86 anos, no Hospital Copa d’Or, em Copacabana, zona sul do Rio.
“Ferreira Gullar é uma das expressões mais fortes da literatura brasileira. Em todas as dimensões em que atuou, o fez com maestria e densidade. Antes de ser imortalizado pela Academia Brasileira de Letras, Ferreira Gullar já fora eternizado pela sua obra. Por isso, o poeta sempre será lembrado. Meus sinceros sentimentos aos familiares e amigos”.
A Academia Brasileira de Letras ainda não tem a hora e local onde o corpo do acadêmico Ferreira Gullar será velado. Essas providências estão sendo tomadas pela família, que ainda está decidindo para onde o corpo será levado.
 
Prefeito
 
O prefeito do Rio, Eduardo Paes, também divulgou nota sobre a morte do poeta, escritor e imortal Ferreira Gullar, que morreu na manhã de hoje, no Rio. De acordo com Paes, o Brasil e o mundo choram hoje a perda do imortal poeta Ferreira Gullar.
"Mas, na cidade que ele escolheu para viver, a dívida de gratidão com esse gênio das palavras é ainda maior. Meu amigo Gullar foi um dos 150 representantes da intelectualidade e da sociedade carioca que desde 2012 participam do Conselho da Cidade, colaborando com sua mente brilhante para ajudar a transformar o Rio. Por isso, além da saudade que ficará desse carioca de coração, deixo aqui o meu 'muito obrigado" para este amigo em nome de todos os apaixonados pela Cidade Maravilhosa. Meus sentimentos para toda a família e para os admiradores de Ferreira Gullar. Que sua poesia continue imortal para a cidade do Rio de Janeiro".
 
* Matéria alterada às 15h08 para inclusão de novas informações.
 
Edição: Armando Cardoso
 
  Nenhum comentário | deixar comentário  
   
Última atualização: 05/12/2016 08:02
     
Notícias Anteriores
     
 
 
  Clique aqui para mandar um e-mail!
  FAMÍLIA É PRATO DIFÍCIL DE PREPARAR
 
  A NOBREZA DO SERVIR
 
  ERÓTICA É A ALMA
 
  O PRESENTE - FREI VENILDO TREVIZAN
 
  VOLTAR É SEMPRE UM RECOMEÇO
 
  Mais Artigos ›  
  O SENTIMENTO DE SAUDADE
 
  PODER E STATUS
 
  APROVEITA ENQUANTO DURA
 
  Eu não quero ter razão, eu quero é ser feliz!
 
  QUANTO VALE UMA AVÓ?
 
  Mais Crônicas ›  
Sintonia Comunicações Ltda
CNPJ: 005.967.432/0001-90